805kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Morreu a mulher de Lula da Silva

Este artigo tem mais de 5 anos

Morreu Marisa Letícia, a mulher do ex- presidente do Brasil, Lula da Silva. Não resistiu a um AVC. Lula da Silva já deu autorização para a doação dos órgãos da mulher.

Marisa Letícia foi primeira-dama do Brasil entre 2003 e 2010
i

Marisa Letícia foi primeira-dama do Brasil entre 2003 e 2010

Rahel Patrasso/AFP/GettyImages

Marisa Letícia foi primeira-dama do Brasil entre 2003 e 2010

Rahel Patrasso/AFP/GettyImages

A mulher do ex-presidente brasileiro, Lula da Silva, morreu hoje depois de lhe ter sido diagnosticada morte cerebral. O seu quadro clínico agravou-se esta quarta-feira à noite. Marisa Letícia sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) na semana passada e apesar de algumas pequenas melhorias ao início de quarta-feira, durante a noite a ex- primeira-dama sofreu uma regressão drástica no seu estado de saúde.

Na sua conta oficial de Facebook, Lula da Silva agradeceu as manifestações de carinho durante o tempo em que a mulher esteve internada, onde afirmou inclusive que a doação de órgãos já tinha sido autorizada pela família.

Minutos depois alterou a foto do seu perfil, onde surge com a mulher:

Segundo o jornal brasileiroFolha de São Paulo esta quarta-feira, fonte próxima da família tinha afirmado que o estado de saúde de Marisa tinha piorado e encontrava-se em estado grave, depois de a sua pressão arterial ter subido e o edema cerebral, provocado pelo AVC, ter também aumentado.

Quem foi a primeira-dama de Lula

Mostrar Esconder

Marisa Letícia Lula da Silva nasceu no Brasil em 1950. Viúva e já com um filho, Marisa conheceu em 1973 aquele que viria a ser o seu marido até aos dias de hoje, Luiz Inácio Lula da Silva.

Mãe de quatro filhos, três deles fruto do casamento com o antigo presidente brasileiro, Marisa tornou-se, em 2003, a primeira-dama do Brasil, quando Lula venceu as eleições presidenciais.

Durante a campanha eleitoral Marisa foi uma voz ativa, tendo participado na maioria das intervenções políticas do marido. Com uma voz ativa na política e militante convicta, Marisa participou em várias ações e manifestações políticas ao longo dos anos.

A ex-primeira dama brasileira teve uma iniciativa invulgar quando costurou a primeira bandeira do Partido dos Trabalhadores, o mesmo partido do seu marido.

Morreu esta quinta-feira em São Paulo, aos 66 anos, depois de o seu estado de saúde se ter agravado na sequência de um AVC.

O agravamento da saúde da ex-primeira dama brasileira foi depois confirmada pelo médico de família, o cardiologista Roberto Kalil Filho, à noite que afirmou à imprensa brasileira que o estado de Marisa Letícia se tinha agravado e neste momento era já “irreversível”. Um exame realizado esta quinta-feira permitiu constatar que Marisa Letícia tinha uma circulação mínima de sangue no cérebro. Depois de Roberto Kalil Filho ter confirmado “estado irreversível” na noite de quarta-feira, a morte cerebral foi confirmada esta manhã.

Recorde-se que a mulher do ex-presidente brasileiro Lula da Silva sofreu um AVC, no passado dia 24 de janeiro, e encontrava-se internada no Hospital Sírio-Libanês. Marisa Letícia morre aos 66 anos. Foi primeira-dama do Brasil entre 2003 e 2010.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar

19 MAIO 2024 - SEDE OBSERVADOR

Atos de vandalismo não nos calarão.

Apoie o jornalismo que há 10 anos se pauta pela liberdade de expressão e o nunca vergar por qualquer tipo de intimidação.

Assine 1 ano / 29,90€ Apoiar

MELHOR PREÇO DO ANO

Ao doar poderá ter acesso a uma lista exclusiva de benefícios

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar

19 MAIO 2024 - SEDE OBSERVADOR

Atos de vandalismo não nos calarão.

Apoie o jornalismo que há 10 anos se pauta pela liberdade de expressão e o nunca vergar por qualquer tipo de intimidação.

Assine 1 ano / 29,90€

MELHOR PREÇO DO ANO