O último fim-de-semana, nos prémios Goya, em Madrid, ficou marcado por um roubo de cerca de 30 mil euros em jóias. O roubo ocorreu dentro de um dos quartos do Hotel Auditórium de Madrid, junto ao Centro de Congressos Príncipe Filipe, onde se realizou a 31º edição do Prémios Goya. Entretanto, o autor do crime, um eletricista, entregou-se às autoridades e devolveu o material roubado.

Prémios Goya foram palco de roubo de jóias avaliadas em 30 mil euros

Foi um técnico de iluminação da empresa ‘Ilunión’, contratada para tratar da iluminação da Gala, o autor do roubo. O homem, de 50 anos, entregou-se na tarde da passada quinta-feira às autoridades, apresentando-se como o homem responsável pelo crime. O homem confessou mas, segundo conta o El Mundo, nunca forçou a porta para entrar, uma vez que a mesma se encontrava aberta.

O homem fez-se acompanhar por um chefe de produção da sua empresa, e entregou os cerca de 30 mil euros em joias. Segundo fontes policiais citadas pelo El Mundo, o homem terá informado que viu a porta aberta, entrou no quarto e, ao ver tantas jóias, nunca pensou que fossem de tanto valor e roubou-as a todas para as ter “como recordação”. Só quando se apercebeu do real valor das jóias é que decidiu entregar-se às autoridades e devolver os pertences roubados.

Segundo o homem terá dito, as caixas com as jóias estavam atrás de um monitor de televisão, mais um dos motivos para pensar que não teriam valor nenhum, porque não estavam escondidas. O homem deverá ser acusado por delito de furto uma vez que não usou de força para abrir a porta ou roubar as jóias, conta o El Mundo. Por ter confessado, a sua pena pode também ser atenuada.

Um dos principais problemas com os quais as autoridades estão a lidar é que a zona do assalto não tinha câmaras de vigilância, fazendo com que exista falta de provas a nível audiovisual sobre quem, como e quando entraram no quarto onde o roubo aconteceu, explica o El País.