A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em alta ligeira, com os investidores divididos entre os bons números do emprego nos EUA e a queda das cotações do petróleo.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o Dow Jones Industrial Average avançou 0,21% (44,79 pontos), para as 20.902,98 unidades, e o Nasdaq 0,39% (22,92), para as 5.861,73. O índice alargado S&P 500 ganhou 0,33% (7,73).

O bom arranque da sessão bolsista foi temperado pouco depois da abertura por uma recaída dos preços do petróleo que, perante a constatação de uma oferta que continua elevada, perderam nove por cento no conjunto da semana.

“Esta queda tão acentuada do preço do petróleo afetou o desempenho do mercado acionista”, comentou Bill Lynch, da Hinsdale Associates.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O muito esperado relatório mensal do emprego nos EUA, ao contrário, revelou-se positivo em todas frentes com 235 mil criações de emprego em fevereiro, bem acima do previsto, uma ligeira descida da taxa de desemprego para os 4,7% e uma nova subida do salário horário médio.

Sinais da boa saúde da economia norte-americana, estes números parecem apoiar uma subida das taxas de juro por parte da Reserva Federal (Fed) dos EUA, o que é esperado pela generalidade dos investidores, na sua próxima reunião na terça e quarta-feira.

“Este relatório sólido do emprego deixa a Fed na pista de uma subida das taxas em março”, notou Mickey Levy, da Berenberg, antes de acrescentar que isto não esclarecia o ritmo do endurecimento da política monetária norte-americana.

De forma mais geral, os analistas desatacam que o alto nível em que se encontra o mercado bolsista, que tem batido recordes consecutivos desde a eleição de Donald Trump para a Casa Branca, conduz os investidores para posições de prudência e expectativa.

“Temos necessidade de ver ou melhores resultados de empresas ou a concretização de políticas de Trump favoráveis ao crescimento, para ocorrer uma nova subida dos mercados”, avançou Bill Lynch.