A atividade da indústria manufatureira (PMI, na sigla em inglês) da China recuperou em março para o nível mais alto em quase cinco anos, anunciaram esta sexta-feira as autoridades chinesas, num sinal de estabilização para a segunda economia mundial. O índice que mede a atividade nas fábricas, oficinas e minas do país, subiu para 51,8 pontos em março, após ter alcançado os 51,6 pontos no mês passado. “É um sinal evidente de que a economia está estável”, destacou o Gabinete Nacional de Estatísticas (GNE) chinês.

Quando se encontra acima dos 50 pontos, o PMI sugere uma expansão do setor, pelo que abaixo dessa barreira pressupõe uma contração da atividade. O índice é tido como um importante indicador mensal da economia chinesa, o principal motor da recuperação global após a crise financeira de 2008.

O relatório do GNE revela que a produção e novas encomendas aumentaram no setor manufatureiro chinês. Já o setor dos serviços aumentou para 55,1 pontos, depois de se ter fixado nos 54,2, em fevereiro, segundo os dados oficiais.

Pequim está a encetar uma reconfiguração no modelo económico chinês, visando um maior ênfase do consumo interno, em detrimento das exportações e do investimento em grandes obras públicas.

A economia chinesa cresceu 6,7% em 2016, o ritmo mais lento dos últimos 26 anos.