Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Nem todos os contos de fadas têm aquele epílogo feliz de fazer chorar as pedras da calçadas mas foi um capítulo de encantar que fica para a história: o Leicester, que trocou o campeão Ranieri por Shakespeare no comando técnico, ficou pelos quartos-de-final da Liga dos Campeões após ser derrotado pelo Atl. Madrid no agregado da eliminatória por 2-1, após o empate a uma bola em Inglaterra. E assim se confirma aquela que é cada vez mais uma tendência na principal prova europeia de clubes: nos últimos quatro, há sempre pelo menos dois espanhóis. Que até podem ser três, se o Barcelona conseguir amanhã nova reviravolta contra a Juventus.

Na noite em que o Real Madrid confirmou de forma muito sofrida no Santiago Bernabéu a vantagem conseguida em Munique frente ao Bayern, mantendo o sonho de se tornar no primeiro bicampeão europeu neste novo formato de Champions, os colchoneros conseguiram um saboroso empate a uma bola com um golo de Saúl Ñiguez aos 26′, na semana em que o prodígio espanhol confessou ter estado “a brincar com a vida dois anos para vestir as cores do Atl. Madrid” depois de ter jogado com um catéter interno devido a um duro golpe sofrido no rim frente ao Bayer Leverkusen, nos oitavos da Liga dos Campeões, em 2015. Vardy, aos 61′, fez o resultado final.

Com isso, a armada espanhola terá pela sétima temporada consecutiva pelo menos dois clubes nas meias-finais, reforçando o domínio que se vem acentuando na prova: Barcelona e Real em 2010/11, com os catalães a vencerem o troféu; Real e Barcelona em 2011/12, ficando ambos nas meias; Barcelona e Real em 2012/13, perdendo novamente os dois nas meias; Real e Atl. Madrid em 2013/14, disputando a final na Luz com vitória dos merengues no prolongamento; Barcelona e Real em 2014/15, com os blaugrana a ganharem a final; e Atl. Madrid e Real em 2015/16, com novo triunfo do conjunto de Cristiano Ronaldo agora nas grandes penalidades.

E não se pense que a predominância se cinge apenas à Champions: de 2010 até hoje, Sevilha (quatro) e Atl. Madrid (duas) deram seis triunfos a Espanha na Liga Europa, falhando apenas 2011 (FC Porto, que derrotou o Sp. Braga) e 2013 (Chelsea, que bateu na final o Benfica).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR