A taxa de desemprego no Brasil desceu pela primeira vez desde 2014, fixando-se em 13,6% em abril, traduzindo 0,1 ponto percentual abaixo do valor de março, anunciou esta quarta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo o IBGE, em abril 14 milhões de pessoas estavam desempregados no Brasil. Na comparação com o trimestre que terminou em janeiro o desemprego cresceu 1,0 ponto percentual passando de 12,6% para 13,6% em abril.

No comunicado em que anuncia os resultados, o IBGE destacou que a “população desocupada cresceu 8,7% em relação ao resultado observado entre novembro de 2016 e janeiro de 2017 (12,9 milhões de pessoas), um acréscimo de 1,1 milhão de pessoas não ocupadas na procura por trabalho”.

Comparando com igual trimestre do ano passado, a taxa subiu 23,1%, o que significa um acréscimo de cerca de 2,6 milhões de pessoas sem emprego.

Já a população com emprego atingiu 89,2 milhões de pessoas, número que mostra uma queda de 0,7%, na comparação com o trimestre de novembro de 2016 a janeiro de 2017 (89,9 milhões de pessoas).

Em comparação com igual trimestre de 2016, quando o total de empregados era de 90,6 milhões, houve uma queda de 1,5%, uma redução de 1,4 milhões de pessoas.

O rendimento médio real habitualmente recebido pelos trabalhadores brasileiros ficou em 2.107 reais (580 euros).

Este resultado foi considerado estável pelo IBGE face ao trimestre de novembro de 2016 a janeiro de 2017, período em que atingiu 2.095 reais (570 euros), e também em relação ao mesmo trimestre do ano anterior quando o rendimento médio dos trabalhadores foi de 2.052 reais (560 euros).