O Parlamento Europeu (PE) inicia na segunda-feira uma sessão plenária dominada pelo debate, na quarta-feira, sobre os recentes incêndios em Portugal, onde fizeram 64 mortos, e Espanha.

No debate, agendado para dia 05 ao final da tarde, os eurodeputados vão avaliar com a Comissão Europeia os instrumentos de resposta da União Europeia (UE) a estas catástrofes e os mecanismos de prevenção e de proteção civil.

Uma mobilização mais rápida do Fundo de Solidariedade da UE, a estratégia europeia para as florestas e a exclusão para efeitos de apuramento do valor do défice orçamental das verbas necessárias para a reparação dos danos e para o apoio às vítimas deverão ser alguns dos assuntos abordados em plenário.

Os eurodeputados do PSD tinham pedido um agendamento urgente de um debate sobre a coordenação da União Europeia no que diz respeito à prevenção de catástrofes naturais, coordenação no âmbito da proteção civil e combate a incêndios.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Por seu lado, os deputados europeus do PCP questionaram a ‘Comissão Juncker’ sobre a possibilidade de excluir das contas para o défice público de 2017 as despesas para fazer face à catástrofe dos incêndios.

O incêndio que deflagrou a 17 de junho, em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos, e só foi dado como extinto uma semana depois.