Marcelo Rebelo de Sousa quer o total apuramento dos factos que envolvem o roubo de material da base militar de Tancos, na semana passada. O Presidente da República falou do tema ao início da tarde desta terça-feira numa visita a Castanheira de Pêra.

A minha posição como Presidente da República e como Comandante Supremo das Forças Armadas, pensando no prestígio de Portugal e das Forças armadas, na autoridade do Estado e na segurança das pessoas é muito simples: tem-se de apurar tudo de alto a baixo, até ao fim, doa a quem doer e apuramento quer dizer apuramento de factos e das responsabilidades. Eu já disse isso uma vez, duas vezes, digo terceira vez. Não posso dizer mais uma quarta”, declarou Marcelo aos jornalistas.

Quanto à hipótese de o roubo estar ligado ao terrorismo ou a um crime de nível internacional, Marcelo reitera:

O que eu exijo é que haja investigação total, integral. Como disse, estão em causa o prestigio de Portugal, das Forças Armadas, a autoridade do Estado e a segurança dos portugueses. Isso deve ser feito doa a quem doer e deixando ninguém imune, deve ser feita essa investigação”, repetiu.

Marcelo Rebelo de Sousa anunciou ainda que chamou o Ministro da Defesa, Azeredo Lopes, para uma visita a Tancos esta tarde de terça-feira às 16h00. À saída dessa reunião, o Presidente da República fez uma declaração à imprensa sem direito a perguntas onde ter sido “muito útil e importante em termos informativos a vinda” a Tancos: