A Procuradoria-Geral da República confirmou que está a investigar o roubo de armas nos paióis de Tancos. Em causa, diz a PGR em comunicado, estão suspeitas de tráfico de armas internacional, terrorismo internacional e associação criminosa.

“Face a notícias relativas ao desaparecimento de material de guerra ocorrido em Tancos foram, desde logo, nos termos legais, iniciadas investigações. Estão em causa, entre outras, suspeitas da prática dos crimes de associação criminosa, tráfico de armas internacional e terrorismo internacional”, lê-se no comunicado, onde o Ministério Público diz estar perante uma “realidade mais vasta”.

Perante as suspeitas e a “gravidade” dos crimes, explica a PGR, o Ministério Público decidiu que a investigação vai prosseguir no âmbito de um inquérito com “objeto mais vasto” a ser investigado no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), em colaboração com a Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT) da Polícia Judiciária, e com a Polícia Judiciária Militar.

“O inquérito encontra-se em segredo de justiça”, conlui-se no comunicado.