O corpo de Francisco Varatojo, diretor do Instituto Macrobiótico de Portugal, foi encontrado esta sexta-feira. Varatojo tinha ido mergulhar com amigos perto do Cabo Espichel, em Sesimbra, na quinta-feira, e não voltou para junto do grupo no fim da atividade.

“Confirmamos que o corpo foi encontrado cerca das 19h40. Foi encontrado pelos mergulhadores forenses da Polícia Marítima muito próximo da zona onde tinha desaparecido, junto à Pedra de Arcanzil”, disse à Lusa Luís Nicholson Lavrador, capitão do Porto de Setúbal.

Ao DN, o capitão do Porto de Setúbal acrescentou que o corpo foi encontrado por mergulhadores a cerca de 18 metros de profundidade. Segundo o responsável, o processo vai agora decorrer dentro dos trâmites habituais.

O Correio da Manhã cita o Capitão do Porto de Setúbal, Luís Nicholson Lavrador, para dar conta que Francisco Varatojo tinha saído para mergulhar com um grupo de sete pessoas numa embarcação da escola de mergulho Megadive, em direção à Pedra do Arcanzil, ao largo do Cabo Espichel.

O capitão acrescentou ainda que alguns dos amigos voltaram a mergulhar para tentar encontrar Varatojo — um mergulhador experiente –, mas sem sucesso.

Francisco Varatojo iniciou-se no estudo da Macrobiótica em 1977 e foi o fundador do Instituto Kushi, após ter estudado no Instituto Kushi de Boston, onde foi assistente pessoal do próprio Michio Kushi, o japonês, falecido em 2014, de cancro do pâncreas, que levou os princípios da Macrobiótica moderna até aos Estados Unidos.