Armamento

Centro de certificação de armas único no país abre em 2019 em Viana do Castelo

202

O primeiro centro de certificação de armas de fogo e munições do país, um investimento de 2,3 milhões de euros, vai abrir em Viana do Castelo em 2019, informou o diretor nacional da PSP.

O projeto vai ser financiado em 75% pelos fundos comunitários

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O primeiro centro de certificação de armas de fogo e munições do país, um investimento de 2,3 milhões de euros, vai abrir em Viana do Castelo em 2019, informou esta segunda-feira o diretor nacional da PSP.

Segundo Luís Farinha, a ideia da criação daquele centro começou a germinar em 2006, aquando da aprovação do novo regime jurídico das armas e munições, mas “por vicissitudes várias”, nomeadamente de ordem financeira, só agora é que a estrutura vai começar a ganhar forma. O responsável adiantou que aquele será o 15.º centro do género em todo o mundo.

Este centro vai colocar Portugal nos circuitos dos bancos de provas CIP [Comissão Internacional Permanente] em termos de certificação e teste de produção de armamento e munições”, sublinhou.

Luís Farinha falava em Viana do Castelo, durante a assinatura de um protocolo entre a PSP e a câmara municipal, pelo qual o município disponibiliza o terreno para a instalação daquele centro, oficialmente designado Banco de Provas de Armas de Fogo e Munições.

O banco vai nascer na freguesia de S. Romão de Neiva, em terrenos contíguos à fábrica belga de armas FN Herstal, responsável pela produção das armas Browning e Winchester. Trata-se da maior fábrica de armas de Portugal, estando autorizada pela PSP para produzir até 150 mil armas por ano.

Esta fábrica está a certificar as suas armas na Bélgica, mas em breve poderá passar a fazê-lo aqui”, disse o diretor do Departamento de Armas e Explosivos da PSP, Coelho da Moura.

Para o presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, este banco de provas, além de apoiar aquela que foi a primeira empresa a instalar-se na Zona Industrial de Neiva, há cerca de 30 anos, poderá também atrair para o concelho outros armeiros nacionais e estrangeiros.

“É um projeto virtuoso”, referiu o autarca, aludindo ao envolvimento da administração central e local e de uma empresa privada. O projeto vai ser financiado em 75% pelos fundos comunitários. “Em 2019, estaremos seguramente a inaugurar o Banco de Provas de Viana do Castelo”, referiu Coelho da Moura.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)