Aquilo que seria apenas uma intervenção cirúrgica para remoção de um coágulo sanguíneo por cima de um olho revelou-se muito mais do que isso para John McCain na semana passada: o antigo candidato à presidência dos Estados Unidos e atual senador foi diagnosticado com um tumor cerebral. Esta terça-feira, o republicano de 80 anos regressa ao Senado. E foi o próprio que deixou o anúncio na sua conta oficial do Twitter.

O Senador McCain vai regressar ao Senado dos Estados Unidos para continuar a trabalhar em legislação importante, incluindo a reforma dos cuidados de saúde, a Lei da Autorização da Defesa Nacional [National Defence Authorisation Act] e novas sanções a Rússia, Irão e Coreia do Norte”, foi reforçado através de um comunicado divulgado na noite desta segunda-feira.

A presença de John McCain acaba por ser vista como crucial no contexto dos assuntos em discussão. Os republicanos têm 52 dos 100 lugares no Senado e, com todos os democratas a oporem-se à reforma da lei dos cuidados de saúde, Donald Trump só pode ter dois votos contra. Também as sanções à Rússia estarão em destaque nesta sessão.

Desde que foi conhecido publicamente o seu problema de saúde, confirmado com uma sentida mensagem da filha Meghan, John McCain tem sido alvo de inúmeras homenagens por republicanos e democratas por todo o serviço público prestado nas últimas décadas.