O presidente norte-americano, Donald Trump, apresentou na quarta-feira nova legislação para reduzir o número de imigrantes admitidos nos EUA. Os planos de Trump, que têm como objetivo baixar os números para metade no espaço de 10 anos, incluem, também, uma limitação do número de refugiados para 50 mil por ano e o fim da “lotaria da diversidade”, em que são atribuídos vistos de residência de forma aleatória.

“A legislação irá representar a maior reforma ao nosso sistema de imigração em meio século”, afirmou Trump, acompanhado pelos republicanos que têm estado a elaborar este pacote legislativo — que o partido democrata diz que “não faz muito sentido” e que “não terá sucesso”.

Trump sublinha que esta legislação é o cumprimento da promessa eleitoral de criar um “sistema de imigração baseado no mérito, que proteja os trabalhadores e os contribuintes americanos”. O plano não incide sobre o combate à imigração ilegal — que Trump quer atenuar, por exemplo, com a construção de um muro na fronteira com o México — mas, sim, sobre a imigração legal. Logo no primeiro ano há uma redução de 41% do número de imigrantes e ao longo dos primeiros 10 anos a imigração irá reduzir-se em 50%.

A legislação deverá sofrer muitas alterações, mesmo que venha a ser aprovada pelo Congresso. Mas os seus proponentes dizem que só nos pressupostos em cima da mesa é que será possível “proteger a classe trabalhadora americana”, ao mesmo tempo que se aproveita “o melhor talento que vem para o nosso país”.