Primeira mão da supertaça de Espanha, minuto 82: Cristiano Ronaldo leva um segundo amarelo, depois de ter tirado a camisola na celebração do segundo golo da equipa, e é expulso do clássico Real Madrid – Barcelona por alegadamente ter simulado um penálti. Em resposta, lê-se na ata, deu um “leve empurrão” ao árbitro Ricardo de Burgos Bengoetxea. Os poucos minutos em campo valeram-lhe um golo, um cartão vermelho e agora, uma suspensão que pode ir de quatro a 12 jogos.

O problema de Piqué é que Ronaldo ‘se quedou’: CR7 marca golão, é expulso e empurra árbitro

Uma vez mostrado o cartão vermelho, o dito jogador empurrou-me levemente em sinal de desacordo“, lê-se no relatório do árbitro. Em causa estava a alegada simulação de penálti – que não chegou a existir – como provam as imagens.

https://www.youtube.com/watch?v=dXUzoYKsh34

O comité de disciplina ainda terá de decidir a sanção a aplicar ao jogador português, mas Ronaldo arrisca-se a uma pena pesada. De acordo com o artigo 96 do código de disciplina da Federação Espanhola, que refere que atitudes como “agarrar” ou “empurrar” um árbitro e por serem “levemente violentas”, podem levar a uma “suspensão de quatro a 12 jogos”.

Seja qual for a decisão, certo é que a imprensa espanhola já compara a situação com o caso do treinador do Atlético de Madrid Simeone quando, em 2014, também durante a Supertaça, o treinador foi afastado durante oito jogos por oito sanções: quatro por uma cabeçada ao árbitro, um por aplaudir ironicamente, outro por ter ficado na bancada mesmo tendo sido expulso e mais dois pela expulsão em si.