O incêndio que teve início às 15h18 de sábado em Barrigais, Covilhã, estava às 08h00 deste domingo a ser combatido por mais de 300 bombeiros e obrigou à ativação dos planos distrital e municipal de emergência e proteção civil.

De acordo com a informação disponibilizada pela página na Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil, este fogo no distrito de Castelo Branco tem três frentes ativas.

O fogo está a ser combatido por 322 operacionais apoiados por 95 meios terrestres e um meio aéreo.

A Proteção Civil acrescenta que a estrada nacional (EN) 230 entre Cortes do Meio e Tortosendo e a estrada municipal (EM) 508 entre Cortes do Meio e a EN 230 estão cortadas.

Fogo exigiu retirada de algumas pessoas de aldeias

O incêndio exigiu também algumas evacuações preventivas, disse à agência Lusa o presidente da Câmara da Covilhã. Vítor Pereira, em declarações por telefone à Lusa, pouco depois das 09h00, disse ter sido necessário proceder à retirada de algumas pessoas de aldeias, sobretudo idosos, embora não tenha sido “nada de dramático”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Há agora alguns sítios mais sensíveis, sobretudo o Casal da Serra, junto ao Tortosendo, e a freguesia de Cortes do Meio”, esclareceu o autarca, referindo, porém, que não existem populações em perigo.

“Neste momento, estão a chegar os meios aéreos para evitar que as chamas atinjam casas. Todos os meios estão a atuar com toda a intensidade”, referiu o autarca.