Os árbitros de futebol da primeira categoria (C1) manifestaram-se solidários esta sexta-feira para com Jorge Sousa, suspenso por três jogos, e pediram penas equivalentes para todos os agentes.

No futebol, como no Desporto em geral, todos os intervenientes têm o direito de ser tratados de forma igual. Os regulamentos têm obrigação de ter molduras disciplinares semelhantes para todos os agentes, algo que não sucede hoje em dia”, afirmam os árbitros da C1, em comunicado enviado à agência Lusa.

A posição surge três dias depois de Jorge Sousa ter sido suspenso por três jogos pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, por se ter dirigido de forma incorreta, com linguagem grosseira, ao guarda-redes sérvio Stojkovic, do Sporting B, num jogo da II Liga.

A polémica de Jorge Sousa no jogo do Sporting B, o que se passou a seguir e o que defende o árbitro

“Os árbitros da categoria C1 reveem-se no que foi dito pelo presidente do Conselho de Arbitragem, José Fontelas Gomes, quando exigiu que o mais depressa possível a Liga e os clubes procedam a alterações regulamentares que assegurem o equilíbrio nas penas a aplicar aos diferentes agentes desportivos. Este grupo continuará sempre unido no sentido de fazer mais e melhor por uma arbitragem e um futebol mais justos e não deixará de fazer a sua voz sempre que entender necessário”, acrescenta nota.

Com este comunicado, os árbitros da C1 querem também “demonstrar publicamente a sua solidariedade para com o colega Jorge Sousa, com 24 anos de dedicação à arbitragem e suficientes provas de rigor e seriedade nos estádios de futebol, em Portugal e no estrangeiro”.