Pela primeira vez desde que chegou a Portugal, o Rock in Rio vai realizar-se no mês de junho e não em maio, como tem sido habitual. Ao Expresso, Roberta Medina, diretora do festival, explicou que esta mudança tem a ver com as datas de digressão dos artistas e não com “o calendário dos festivais europeus ou mesmo portugueses”. O evento irá decorrer nos dias 23, 24, 29 e 30 de junho de 2018, aproximando-se assim de outros festivais, como o NOS Alive e o Super Bock Super Rock, marcados para julho.

Além da alteração na calendarização, o Rock in Rio terá, em 2018, menos um dia: em vez de cinco, terá quatro. Porém, Roberta Medina garantiu ao Expresso que o número de artistas não será reduzido, com o palco principal a receber cinco artistas por dia, como tem vindo a acontecer.

Mas esta não será a única novidade: para o próximo ano, será inaugurado um novo espaço dentro da Cidade do Rock, o Pop District. Dedicado à cultura pop, o “novo bairro” receberá youtubers, vloggers, comediantes e outras personalidades com influência nas redes sociais. Haverá ainda um espaço de cinema, banda desenhada, moda e muitas outras novidades. De acordo com a diretora do festival, muitas das mudanças estão relacionadas com os conteúdos da próxima edição, de forma a que esta se adeque mais ao público-alvo do Rock in Rio, a “família”.

O preço do bilhete diário irá manter-se nos 69 euros mas, segundo Roberta Medina, haverá menos possibilidades de adquirir uma entrada a preço especial. “Descontos só mesmo no início da venda de bilhetes e numa quantidade muito mais limitada”, disse ao Expresso. Haverá também um passe de fim de semana, cujo preço ainda não foi definido pela organização.