Ronaldo prescindiu da equipa de advogados que gere o caso de alegada fuga aos impostos em Espanha. De acordo com o jornal espanhol El Mundo, o jogador português já tem equipa escolhida para gerir a sua acusação de fuga fiscal.

O mesmo jornal escreve que Ronaldo já comunicou à Baker & McKenzie — os escritórios de advogados em questão — que não quer continuar a usufruir dos seus serviços. Em causa está a vontade do craque em querer uma melhor representação no caso, com “melhores especialistas em delito fiscal”.

Ronaldo já terá também escolhido os próximos advogados. A decisão recaiu em José Antonio Choclán — o mesmo técnico que defende o treinador português José Mourinho no caso de fuga aos impostos — por ser “um dos grandes [especialistas] penais espanhóis e um dos maiores especialistas em delito fiscal”.

Esta decisão surge na sequência da decisão da juíza Mónica Gómez Ferrer em querer ouvir o agente Jorge Mendes, o advogado Carlos Osorio e o assessor de imagem Luis Correia de Cristiano.

Ronaldo está acusado de quatro crimes de fuga fiscal, no valor de 14,7 milhões de euros, por verbas não declaradas relacionadas com direitos de imagem.