Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A licença da Uber para continuar a operar na capital britânica não foi renovada. A Autoridade dos Transportes de Londres considera que a empresa que gere esta aplicação para serviços de transporte privado não é um “operador adequado” para manter essa licença.

A atual autorização da Uber para usar esta plataforma expira a 30 de setembro e a empresa dispõe agora de 21 dias para recorrer da decisão e assim poder continuar a operar. Em comunicado, a empresa já anunciou que vai apresentar recurso.

Ao quererem banir a nossa aplicação da capital, a Transport for London (TfL) e o Presidente da Câmara cederam ao pequeno grupo de pessoas que querem restringir a escolha do consumidor.” Por isso, reforçam, “para defender os interesses de todos os motoristas e a liberdade de escolha de milhões de londrinos que utilizam a nossa aplicação, pretendemos contestar imediatamente esta decisão nos tribunais.”

De acordo com a autoridade que regula os transportes em Londres, o pedido de nova licença foi recusado por considerarem que “a abordagem e conduta da empresa demonstram falta de responsabilidade corporativa”, lê-se na informação divulgada. O comunicado da autoridade que regula os transportes em Londres discrimina mesmo algumas das situações que sustentam a sua decisão.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

https://twitter.com/TfL/status/911168235189489669

A empresa contesta e garante que seguiu “sempre as regras da TfL ao relatar incidentes graves e temos uma equipa dedicada que trabalha em estreita colaboração com a Polícia Metropolitana de Londres. A Uber opera em mais de 600 cidades de todo o mundo, incluindo mais de 40 cidades no Reino Unido. Esta proibição revelaria ao mundo que Londres está longe de demonstrar abertura para receber empresas inovadoras que trazem maior escolha aos consumidores”, alega a empresa em comunicado assinado por Tom Elvidge, diretor-geral da Uber em Londres.

O mayor de Londres, Sadiq Khan, também manifestou o seu total apoio à decisão do regulador e partilhou os seus comentários na conta de Twitter. “Seria um erro a autoridade dos transportes continuar a autorizar a Uber, havendo risco para a segurança dos londrinos”, declarou. “Todos os operadores de serviços privados em Londres têm de cumprir as regras.”

A Uber começou a operar em Londres há pouco mais de cinco anos e conta atualmente com cerca de 40 mil motoristas licenciados que, alerta a empresa, “ficarão sem emprego”, deixando cerca de 3,5 milhões de londrinos “privados de uma forma de transporte conveniente e acessível.”

(notícia atualizada às 13h15 com a reação da Uber à decisão da Autoridade dos Transportes de Londres e do mayor da cidade)