Juros

Portugal pagou menos 213 milhões de euros em juros à troika até agosto

181

Portugal pagou 1.161,2 milhões de euros em juros à troika até agosto, menos 213,1 milhões em termos homólogos. O Estado reduziu também o pagamento em comissões no âmbito do PAEF para 11 milhões.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Portugal pagou 1.161,2 milhões de euros em juros à troika até agosto, menos 213,1 milhões em termos homólogos, devido à extensão da maturidade de parte do empréstimo e aos reembolsos antecipados ao FMI.

O Estado reduziu também o pagamento em comissões no âmbito do PAEF para 11 milhões de euros nos primeiros oito meses deste ano, menos 4,9 milhões de euros (30,8%) do que os 15,9 milhões de euros pagos até agosto de 2016.

Os encargos do Estado com a dívida pública totalizaram 5.137,5 milhões de euros, menos 79,1 milhões de euros (1,5%) do que os 5.216,6 milhões de euros pagos até agosto de 2016, segundo a síntese de execução orçamental referente aos primeiros oito meses deste ano divulgada esta segunda-feira pela Direção-Geral de Orçamental (DGO).

O decréscimo da despesa com juros e encargos da dívida direta do Estado (-1,5%) justifica-se, sobretudo, com a redução dos juros relativos aos empréstimos obtidos ao abrigo do Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF), na sequência da extensão da maturidade do empréstimo do Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (MEEF) e das amortizações do empréstimo do Fundo Monetário Internacional (FMI) ocorridas no final de 2016 e no início de 2017″, afirma a DGO.

A entidade realça ainda a diminuição dos juros associados a Certificados de Aforro (CA) e Certificados do Tesouro (CT), devido ao fim do pagamento de prémios extraordinários de duas séries de CA, com “impacto nos juros suportados desde abril”.

Em sentido contrário, a DGO refere o aumento dos juros com Obrigações do Tesouro (OT), “em virtude da alteração do seu perfil intra-anual (com um peso maior dos juros cujo pagamento incide nos meses de abril e julho), bem como dos juros associados a ‘Outros instrumentos’, na sequência do pagamento do primeiro cupão de uma série de obrigações emitida, em 2016, ao abrigo do programa Medium Term Note”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)