Foi inaugurado o primeiro concessionário da Tesla em Barcelona, localizado na zona de L´Hospitalet de Llobregat. Não será o único, uma vez que além de outros locais previstos para Espanha, vão surgir no primeiro trimestre de 2018 instalações similares em Lisboa. Mas, de momento, este é o único local na Península Ibérica onde se podem adquirir e assistir, oficialmente, os modelos da marca americana.

Os proprietários dos Model S, Y e 3 – embora este último ainda não tenha começado a ser entregue aos clientes europeus –, podem assim deslocar-se a Barcelona para assistir os seus veículos, rotina que a Tesla aconselha adoptar com uma periodicidade anual. O que, apesar de ser bastante fora de mão, sempre é preferível ao que acontecia até aqui, que obrigava a uma deslocação mais extensa a um dos locais já existentes na Europa central.

A Tesla tem a capacidade de proceder a actualizações de software over the air e os seus modelos não necessitam de mudar o óleo do motor, ou de realizar as tradicionais intervenções dos automóveis com motores de combustão. No entanto, em tudo o resto, os veículos que produz têm tanta necessidade de visitar uma oficina como qualquer outro. Ou até mais, devido à juventude do fabricante.

Além do novo stand de vendas e oficina, o mercado espanhol vai ainda beneficiar de um incremento do número de supercarregadores, passando dos actuais 12 para 24, nos quais é possível fornecer 50% de carga em somente 15 minutos. A estes postos, juntam-se os 155 pontos de carga convencionais que a Tesla tem montados em hotéis, restaurantes e centros comerciais. Neste aspecto, o mercado português oferece a grande vantagem de dispor de uma rede considerável de postos públicos, de carga normal e rápida – se bem que, lamentavelmente, nem todos estejam em funcionamento devido a falhas de manutenção –, o que facilita as deslocações em veículos eléctricos, Tesla incluídos.