Um militar da segurança fronteiriça indiana morreu e outros dois ficaram feridos na sequência de um ataque suicida a um acampamento militar em Srinagar, na Caxemira indiana. O ataque, já reivindicado pelo grupo terrorista Jaish-e-Mohammad, foi realizado às 4h00 horas locais de terça-feira (22h30 de segunda-feira em Lisboa).

Testemunhas dizem que o ataque foi levado a cabo por duas pessoas — que morreram — e uma terceira ainda está barricada, pelo que está a decorrer uma operação policial. As identidades dos atacantes ainda não foram reveladas. A polícia não encontrou documentos ou outras formas de identificação mas acredita que os militantes foram radicalizados no Paquistão.

Os atacantes invadiram o acampamento e ficaram escondidos na zona administrativa. Pelo menos um ainda está no interior”, disse fonte do exército à BBC.

Jaish-e-Mohammad — o grupo militante islâmico responsável pelo ataque, também conhecido por Exército de Maomé — é uma organização com sede no Paquistão que luta pela independência da Caxemira.

Mais ataques são temidos num futuro próximo, de acordo com a inteligência indiana, seis ou sete militantes de Jaish-e-Mohammad ainda estão a vaguear pela zona”, disse o chefe de polícia de Kashmir, Muneer Khan à BBC.

O acampamento militar está localizado perto do Aeroporto Internacional de Srinagar. Os voo que foram suspensos na manhã de terça-feira já foram retomadas bem como as estradas que ligam o aeroporto que foram fechadas, também reabriram.