Alexeï Navalny, o crítico mais feroz do regime de Vladimir Putin, foi libertado da prisão onde esteve detido quase três semanas. O advogado, que foi detido por organizar manifestações anti-Putin, anunciou a saída da prisão através de uma publicação simples na rede social Instagram: “Olá. Estou cá fora”, escreveu na legenda de uma foto tirada a si próprio.

Navalny já esteve detido três vezes este ano, sempre por delitos relacionados com a oposição a Putin, quer ser candidato presidencial em 2018 — mas não tem caminho fácil: em fevereiro, foi condenado em tribunal por desvio de fundos públicos, o que o impede de ser elegível para qualquer cargo político. Navalny defende que a sua condenação teve motivações políticas.

Rússia. Quem é Alexei Navalny, o opositor dos “trapaceiros e ladrões”

Enquanto Navalny esteve detido, houve uma manifestação no aniversário de Vladimir Putin em que mais de 270 pessoas acabaram detidas. A manifestação foi convocada para protestar contra a prisão de Navalny e para criticar o regime de Putin no dia do seu 65º aniversário.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Houve concentrações em 80 cidades russas, do Extremo Oriente ao Báltico, incluindo em Moscovo, mas o mais importante cortejo realizou-se em São Petersburgo (noroeste), segunda cidade do país, onde 3.000 pessoas desfilaram pelo centro da cidade, gritando “Liberdade para Navalny!”, antes de se iniciarem as detenções.

Ainda este domingo, Navalny deverá fazer um discurso no sul da Rússia –em Astrakhan –, segundo a Reuters, numa tentativa de ganhar apoios caso consiga desafiar Putin no próximo ano.