27 anos depois, 75 títulos depois, Toni Nadal vai deixar de treinar Rafael Nadal. Tio e sobrinho fizeram uma dupla imparável que chegou ao fim esta semana, nas ATP Finals, em Londres. Num texto publicado no El País, Toni Nadal agradeceu, emocionou-se, recordou e engrandeceu aquele que fez dele o treinador mais premiado da história do ténis: Rafa Nadal.

No texto, que tem como título “Obrigado, Rafael”, Toni começa por garantir que vai continuar ligado ao ténis, já que “a ilusão e o amor por este desporto, por sorte, seguem intactos”. O treinador vai voltar a dar aulas, tal como fazia antes de Nadal se tornar profissional. O espanhol desmistifica qualquer relação familiar e conta que, apesar de serem tio e sobrinho, nunca facilitou a vida a Rafael: “Fui mais irritante que gentil e mais exigente do que dado ao elogio. Transladei sempre para ele toda a responsabilidade. Nunca facilitei as coisas ao Rafael”.

Toni Nadal, de 56 anos, aproveita a despedida para deixar um recado político. Numa clara alusão à crise na Catalunha, defende que “vivemos numa sociedade em que o fanatismo dominante leva-nos a tomar como bom apenas o nosso ponto de vista e a desprezar, inferiorizar e até odiar, o que pensa alguém diferente de nós”.

“O meu apoio ao FC Barcelona, para não me distanciar do âmbito desportivo, não me leva a elogiar exageradamente todas as exibições, como também não desprezo todas as do Real Madrid. Creio que nos faria bem começar a moderar as nossas paixões no campo desportivo e estender essa ação a todos os outros”, escreveu o agora antigo treinador de Rafa Nadal.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Depois de agradecer “a todas as pessoas mais ou menos anónimas que ao longo destes anos o têm acompanhado”, incluindo colegas, outros tenistas, jornalistas e fãs, Toni Nadal endereça o maior agradecimento de todos aquele que esteve lado a lado consigo durante 27 anos: o próprio sobrinho.

A relação com ele foi sempre atipicamente fácil dentro do mundo em que nos movemos. Graças à sua educação, respeito e paixão consegui desdobrar a minha maneira de entender esta profissão. Graças a ele vivi experiências que superaram todos os meus sonhos como treinador. Hoje, sinto-me enormemente valorizado e querido porque a sua figura engrandeceu a minha muito mais do que aquilo que mereço”, escreveu Toni para Rafael, o tio para o sobrinho.