Mário Centeno

Mário Centeno já é presidente do Eurogrupo

424

Numa cerimónia realizada na manhã desta sexta-feira na embaixada de Portugal em Paris, Centeno recebeu das mãos do holandês Jeroen Dijsselbloem o sino usado pelo presidente do Eurogrupo nas reuniões.

AFP/Getty Images

O ministro das Finanças, Mário Centeno, assumiu esta sexta-feira a presidência do Eurogrupo, numa cerimónia na embaixada de Portugal em Paris, onde recebeu do seu antecessor, o holandês Jeroen Dijsselbloem, o sino usado para marcar oficialmente o início das reuniões do grupo informal que Mário Centeno passará agora a liderar. Regras orçamentais europeias e orçamento para a zona euro no topo da agenda de Mário Centeno.

Mário Centeno agradeceu o “trabalho duro” do antecessor, sublinhando que “muito foi feito”, a começar pela saída da crise, mas que ainda há muito a fazer no reforço da união económica e monetária, para tornar “a moeda comum mais resistente a crises futuras”. O ministro português disse que irá “procurar os consensos necessários” para enfrentar “os desafios que aí vêm”, de que forma a que o Eurogrupo vá “ao encontro das expectativas dos cidadãos”.

Numa posição mais diplomática face à agenda europeia do que a que tem tido como ministro das Finanças de Portugal, Mário Centeno diz que “não se trata neste momento de fazer análises sobre o passado”, quando confrontado com as políticas que tem vindo a criticar, apoiadas por países mais conservadores.

“A Europa enfrentou uma crise muito séria e atuou bastante ao nível dos seus Estados, os Estados membros da área do euro promoveram reformas muito ambiciosas nas diferentes áreas. O Governo português nos últimos dois anos tem promovido essas reformas na área financeira, na área das qualificações, são reformas que têm de se manter. O que temos de conseguir e de garantir é que o resultado dessas reformas conjuntas beneficie de uma estabilidade financeira e de uma integração financeira na área do euro que hoje ainda é incompleta e incipiente. Estes desafios colocam-se em diferentes níveis”, afirmou.

O ministro disse então que a discussão sobre as regras orçamentais europeias – que tem criticado de forma muito dura, assim como a forma como têm sido aplicadas e a Comissão Europeia, que as aplica – tem de continuar, no sentido de garantir “a sua transparência, a sua previsibilidade e a capacidade de serem entendidas pelos cidadãos”.

Mário Centeno prometeu ainda colocar o debate em cima da mesa do Eurogrupo sobre um eventual orçamento para a zona euro, uma proposta da Comissão Europeia e que tem uma grande oposição de países mais conservadores (como é o caso da Alemanha), mas sempre tendo em vista alcançar consensos, a principal mensagem da sua candidatura à presidência do Eurogrupo.

“É um debate longo mas que, estando em cima da mesa, eu me comprometo a tê-lo com todos. Sempre com um objetivo, criar consensos e que esses consensos sejam equilibrados face à vontade das partes”, disse.

Oficialmente, Mário Centeno só assume a presidência do Eurogrupo a partir de sábado, mas a cerimónia realizou-se esta sexta-feira porque era a data possível nas agendas do presidente em exercício e do presidente eleito. Mário Centeno esteve em França para se encontrar com o presidente francês, Emmanuel Macron, onde já desempenhou o papel de presidente do Eurogrupo, recebendo garantias que a segunda maior economia da zona euro vai fazer esforços para garantir que consegue cumprir a meta do défice e assim sair do Procedimento dos Défices Excessivos.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jfgomes@observador.pt
Austeridade

Nunca tão poucos enganaram tantos /premium

Rui Ramos
2.381

Em 2016, disseram-nos que a austeridade era uma página, e que estava virada. A austeridade, porém, não é uma página. É um livro inteiro, de que já ninguém lembra o princípio e ninguém sabe o fim.

Segurança Social

Não tinha de ser assim /premium

Helena Matos
590

Em 1974, politicamente bloqueado, o país aguardava que os militares tratassem do assunto. O assunto era o Ultramar. Em 2019, o país está bloqueado de novo. O assunto chama-se Estado Social.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)