O Fisco abriu um processo contra a Inland em 2016, uma empresa liderada pelo filho de Luís Filipe Vieira, avança o Expresso. Na mira das Finanças está um empreendimento turístico, o Benagil, da empresa imobiliária que é presidida por Tiago Vieira e que foi alvo de uma inspeção tributária da Direção de Finanças de Lisboa em janeiro de 2016. O processo seguiu para um tribunal arbitral.

O Expresso diz que o processo não estará relacionado com as buscas que foram feitas durante o fim de semana no Ministério das Finanças — que tiveram a ver com o processo de atribuição de isenção de IMI à Realitatis – Investimentos Imobiliários, S.A., uma empresa que tem como administradores os dois filhos de Luís Filipe Vieira: Tiago e Sara Vieira. Em janeiro, o Observador avançava que Mário Centeno tinha pedido lugares para si e para o filho, para o Benfica-Porto da época passada.

Ministro das Finanças pediu lugares para si e para o filho para o Benfica-Porto da época passada

Agora, o Expresso avança que há mais uma empresa ligado ao universo do líder benfiquista com alegadas irregularidades fiscais. A Inland teve de explicar à Autoridade Tributária um conjunto de empréstimos que foram concedidos à empresa Benagil Promoção Imobiliária, que tiveram impacto no exercício fiscal de 2012.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No documento a que o Expresso teve acesso, a empresa explicava que a Benagil era financiada também pelo Novo Banco, com 4,1 milhões de euros em apoio de tesouraria e 8,2 milhões em “soft costs”, que serviram para adquirir terrenos, pagar estudos e projetos, despesas de natureza societária e responsabilidades com outros financiamentos contratados.

O projeto foi anunciado como um investimento turístico de 220 milhões de euros, situa-se no concelho algarvio de Lagoa e foi classificada como tendo interesse nacional.

O presidente da empresa, Tiago Vieira, admitiu que há um diferendo no tratamento fiscal destes créditos e que o processo seguiu para a justiça, mas defende que o entendimento da empresa está correto e que a empresa sempre cumpriu escrupulosamente as suas obrigações fiscais.