Rio Tejo

Fonte de poluição em Abrantes ainda desconhecida

O secretário de Estado do Ambiente declarou que as medidas tomadas contra a poluição do Rio Tejo, por enquanto, "são apenas de precaução" devido a não se saber qual a origem do manto de espuma branco.

Paulo Cunha/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O secretário de Estado do Ambiente afirmou esta segunda-feira que ainda são desconhecidos os responsáveis pelo surgimento do manto de espuma branco no Tejo, na zona de Abrantes, e que “todas as medidas tomadas são apenas de precaução”.

Em declarações aos jornalistas, ao início da tarde, no Açude de Abrantes, distrito de Santarém, Carlos Martins ressalvou que, só após a conclusão das análises realizadas, poderá ser possível associar esta situação à atividade das instalações industriais, que laboram nas margens do rio Tejo.

“Ainda não sabemos quais foram as causas deste evento. Estamos a estudá-las e a tomar medidas de precaução para chegar à fonte”, explicou o governante, referindo que as análises estarão concluídas na quarta-feira e a avaliação causa efeito na próxima semana. Nesse sentido, Carlos Martins ressalvou que a imposição do Governo à empresa Celtejo (sem nunca referir o nome da empresa de papel) para que reduzisse as suas emissões para o rio Tejo “nada têm a ver com qualquer desconfiança”.

“Foram cumpridas as recomendações que foram dadas. São medidas de precaução e não estão para já ligadas a nenhuma particular situação de desconfiança aos caudais descarregados. As análises dirão se sim ou não a qualquer associação entre as duas situações”, apontou. Por outro lado, o secretário de Estado do Ambiente referiu que foram criados mais dois postos de monitorização à qualidade da água do Tejo e reduzido o intervalo de tempo entre cada medição. “Eram cinco postos que faziam uma monitorização a cada 48 horas e agora fazem um controlo diário”, adiantou.

Entretanto, no local continua a ser retirada a espuma do rio, mas, segundo referiu o governante, “é agora um trabalho mínimo”. “Quero aqui destacar a colaboração muito ativa dos bombeiros que ajudaram à retirada mais célere da espuma”, apontou.

A remoção da espuma que cobre o Tejo em Abrantes, a redução da atividade da empresa Celtejo e a retirada de sedimentos do fundo de albufeiras foram medidas anunciadas na sexta-feira, em Abrantes, pelo Governo devido à poluição registada recentemente no rio.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Serviço Nacional de Saúde

António Costa enganou-se

Bruno Bobone

Em nome de preconceitos ideológicos está a pôr-se em causa a qualidade e sustentabilidade do SNS, pois todos os hospitais PPP oferecem um serviço de qualidade, conforme comprovou o próprio Ministério.

Crónica

Amorfo da mãe /premium

José Diogo Quintela

O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)