A Mercedes-Benz promete que, até 2022, vai oferecer pelo menos uma variante eléctrica, em cada um dos seus modelos. Ao todo, serão mais de 50 versões de veículos electrificados.

Visando este objectivo, a marca de Estugarda afirma que vai continuar a apoiar o desenvolvimento de modelos híbridos plug-in e a implementação de sistemas elétricos de 48V. Ainda que, dos cerca de 50 veículos electrificados, mais de 10 tenham já a promessa de ser 100% eléctricos. Abrangendo, neste caso, todos os segmentos, desde os modelos Smart aos SUV de maiores dimensões.

Com o propósito de impulsionar esta iniciativa eléctrica, a Mercedes diz que vai investir 10 mil milhões de euros na já referida expansão do seu portefólio eléctrico, além de mais 1.000 milhões de euros numa nova rede global de fábricas de produção de baterias, em todo o mundo. Aumentando, assim, o número de infraestruturas do género, que neste momento não passam de cinco, em três continentes.

Depois do arranque da produção da presente geração Smart Fortwo Coupé e Cabriolet, na fábrica de Hambach (e que representa já a quarta geração de veículos eléctricos do fabricante), o próximo passo é o início do fabrico do primeiro veículo elétrico da nova marca de produtos e tecnologia EQ. Que, denominado EQC, trata-se de um SUV totalmente eléctrico, a produzir na linha de montagem de Bremen, já a partir de 2019. Pouco depois, ainda no mesmo ano, o EQC iniciará igualmente produção na fábrica da BBAC, um consórcio formado pela Daimler e a BAIC para o mercado chinês. Sendo que os modelos EQ também serão produzidos nas fábricas da Mercedes-Benz em Rastatt, Sindelfingen e Tuscaloosa (EUA), onde a gama de modelos será alargada para incluir os veículos eléctricos dos segmentos compacto, superior, de luxo e também o segmento SUV.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ainda em 2018, a Daimler, proprietária das marcas Mercedes-Benz e Smart, deverá concluir a construção da segunda fábrica de baterias em Kamenz, na Alemanha.