Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O presidente dos Estados Unidos diz que os russos se estão “a rir à gargalhada” dos americanos, depois de treze cidadãos da Rússia terem sido formalmente acusados pela justiça norte-americana de terem interferido nas eleições de 2016.

Numa série de tweets publicados na manhã de domingo, Trump garantiu novamente que não houve conluio nenhum entre a sua campanha e o governo russo e atacou os democratas, lembrando que “o único conluio” foi entre a Rússia, Hillary Clinton e o Comité Nacional Democrata.

“O general McMaster esqueceu-se de dizer que os resultados da eleição de 2016 não foram impactados ou alterados pelos russos”, escreveu Trump, recordando as palavras do conselheiro para a segurança nacional H. R. McMaster em Munique este sábado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Trump culpou também Obama pela interferência russa na eleição. “Obama era presidente, sabia da ameaça e não fez nada”, escreveu Trump, agradecendo ao congressista democrata Adam Schiff por ter feito esta crítica em público.

Admitindo que possa ter havido interferência russa nas eleições, Donald Trump lembrou que não houve nenhuma conspiração ou ligações entre a Rússia e a sua campanha eleitoral.

“Eu nunca disse que a Rússia não interferiu na eleição, eu disse que ‘pode ser a Rússia, ou a China ou outro país ou grupo, ou pode ser um génio de 180 kg sentado na cama a brincar com o computador’. A mentira russa foi que a campanha Trump conspirou com a Rússia. Nunca o fez”, escreveu Trump.

“O objetivo da Rússia era criar discórdia, disrupção e caos nos EUA e com todas estas audições em comités, investigações e ódio partidário, tiveram mais sucesso do que nos seus sonhos mais selvagens. Eles estão a rir à gargalhada em Moscovo. Torna-te esperta, América”, adicionou noutro tweet.

Este domingo, o antigo procurador especial Kenneth Starr — que investigou o caso entre o presidente Bill Clinton e Monica Lewinsky — veio dizer, em declarações à Fox, que a Rússia não tenha necessidade de conspirar com ninguém e que as acusações proferidas pelo procurador especial Robert Mueller comprovam que não houve conluio.

Tiroteio na Florida. Trump acusa FBI de “desperdiçar tempo” a investigar ligações à Rússia

Já o senador democrata Chris Coon, que falou este domingo à CBS, questionou “porque é que o presidente Trump não está a agir para proteger” a democracia “quando há agora provas indisputáveis de que a Rússia interferiu” nas eleições de 2016.

Também esta manhã, o presidente Donald Trump criticou o FBI por estar a “desperdiçar tempo” a investigar as ligações à Rússia, em vez de ter investigado a denúncia que recebeu sobre o atirador que matou 17 pessoas numa escola na Florida.

Leia também: