O presidente norte-americano Donald Trump foi apanhado com uma cábula nas mãos com anotações sobre o que devia perguntar e dizer aos familiares das vítimas do tiroteio numa escola de Parkland, na Flórida, com quem se encontrou na última quarta-feira. Depois de ouvir os emotivos testemunhos dos sobreviventes do tiroteio e os lamentos das famílias das vítimas mortais, Donald Trump pegou num papel que mantinha no chão para fazer perguntas ao público e para lhe lembrar do que havia dizer. A cábula tinha cinco tópicos. O último dizia: “Eu oiço-vos”.

O momento foi eternizado pelo fotógrafo Chip Somodevilla, a serviço da Getty Images, numa reunião que Trump preparou na Casa Branca. O papel tinha origem num bloco de notas oficial da Casa Branca e tinha cinco tópicos escritos a caneta preta. Embora os dedos do presidente dos Estados Unidos ocultasse dois dos apontamentos, foi possível ler os dois primeiros e o último. A primeira frase era uma pergunta: “O que mais querem que eu saiba sobre a vossa experiência?”. A segunda frase também era uma questão: “O que podemos fazer para vos ajudar a sentirem-se melhor?”. E a última frase dizia apenas: “Eu oiço-vos”.

[Veja no vídeo a cábula e o apelo de Trump: “Disparem imediatamente de volta se um selvagem doente entrar numa escola com más intenções”]

[jwplatform 3YRCcBhu]

O fotógrafo conseguiu apanhar em imagens a sequência dos acontecimentos: Donald Trump começou por ouvir os sobreviventes e os familiares, depois baixou-se para apanhar o papel, que estava à esquerda da cadeira. Segundo a CNN, o presidente norte-americano usou um “tom de voz afetuoso” e disse: “Estamos a lutar muito por vós e não vamos parar. Estou muito afligido, para mim não há nada pior do que aquilo por que vocês passaram”. Depois, agradeceu aos presentes: “Obrigada por abrirem os vossos corações, porque o mundo está a ver e nós vamos arranjar uma solução”.

Veja as imagens em pormenor na fotogaleria.