480kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Benfica confirma buscas e pede audiência à Procuradora-Geral da República

Este artigo tem mais de 4 anos

A SAD do Benfica confirma buscas na Luz, defende que tudo o que Paulo Gonçalves fez foi legal e revela que vai pedir, com urgência, audiência a Joana Marques Vidal.

i

Inácio Rosa/LUSA

Inácio Rosa/LUSA

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A SAD do Benfica confirmou esta terça-feira a realização de buscas às suas instalações no âmbito de um “processo de investigação sobre eventual violação do segredo de justiça” e reiterou a sua “total disponibilidade em colaborar com as autoridades no integral apuramento da verdade“. Em causa está o processo E-Toupeira, que resultou na detenção na manhã desta terça-feira do diretor do departamento jurídico do Benfica, Paulo Gonçalves, e de um funcionário judicial. As buscas no Estádio da Luz terminaram por volta das 18:15, revelou fonte da Polícia Judiciária ligada ao processo. Paulo Gonçalves saiu com os inspetores e está no Estabelecimento Prisional da PJ de Lisboa, onde vai permanecer durante a noite, para ser presente a juiz esta quarta-feira.

A SAD revela ainda que irá “pedir com carácter de urgência uma audiência à Senhora Procuradora-Geral da República, pelas reiteradas e constantes violações do segredo de justiça, sobre os processos que envolvem o clube, numa estratégia intencional e com procedimentos fáceis de serem investigados, como [esta terça-feira] foi claramente comprovado.”

Bilhetes para jogos e merchandising do Benfica na origem da detenção de Paulo Gonçalves

Sobre Paulo Gonçalves, o Benfica defende que tudo o que o seu diretor fez foi legal. No comunicado, a SAD “manifesta a sua confiança e convicção de que o Dr. Paulo Gonçalves terá oportunidade, no âmbito do processo judicial, de provar a legalidade dos seus procedimentos.”

O diretor de comunicação do Futebol Clube do Porto, Francisco J. Marques, já se congratulou através do Twitter com estas detenções: “A revolução começou há uns meses. Sem medo, pela verdade.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O diretor de comunicação do Sporting diz estar triste pelas notícias de hoje, já que estas “revelam a degradação que o futebol português atingiu”. Nuno Saraiva lembra que o Sporting anda “há 5 anos a denunciar vouchers, emails, jogos para perder e outros compadrios no futebol português que envolvem sempre os mesmos”.

Para o diretor de comunicação do Sporting “o que importa, verdadeiramente, é que, havendo provas de tudo, este seja apenas o primeiro de vários passos concretos no sentido de que se faça justiça”. Nuno Saraiva espera que este não seja  “um caso típico de constituição de um bode expiatório de maneira a que a floresta seja salva pelo derrube da árvore”.

[Veja no vídeo dois momentos-chave em que Francisco J. Marques denuncia Paulo Gonçalves na televisão]

[jwplatform NlRXOCze]

Nuno Saraiva sugere que Paulo Gonçalves possa estar a ser usado para que Luís Filipe Vieira seja poupado, daí que acrescente que “se for verdade que o assessor jurídico da SAD do Benfica corrompeu a justiça para ter acesso a informação privilegiada e monitorizar as investigações em curso, isto significa que não era apenas ele mas toda a sua estrutura que o estava a fazer, a coberto de uma ordem superior que, não é difícil de adivinhar, tem um nome: Luís Filipe Vieira”.

O diretor de comunicação do Sporting diz que é tempo da justiça fazer o seu trabalho, mas adverte que a “Liga, a Federação, o Governo e o IPDJ não podem continuar a assobiar para o lado e a fingir que nada se passa.” Saraiva deixa ainda uma pergunta: “Se houve, alegadamente, disponibilidade para “comprar” elementos da justiça com o objectivo de controlar as investigações, imagine-se o que, alegadamente, não estiveram dispostos a fazer para ganhar campeonatos?” .

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.