A ilha Terceira, nos Açores, está a ser contaminada há 75 anos: ou seja, desde que acolhe a Base das Lajes e as forças militares norte-americanas. Uma reportagem da TVI revelou esta sexta-feira que, dos 41 locais que estiveram ou ainda estão a ser contaminados com hidrocarbonetos, sete já apresentaram riscos de cancro acima do normal.

A reportagem apresenta um estudo científico que está a ser desenvolvido na ilha e que tenta apurar se, realmente, existe uma prevalência de cancro bem acima do normal nos territórios à volta da base. Ao que parece, os solos da ilha açoriana estão contaminados com infiltrações de petróleo.

“Ao longo dos anos houve perda de hidrocarbonetos, ou seja, petróleo, que se foi infiltrando no solo. Isto levou a que haja uma zona de enorme infiltração, em grandes quantidades, de hidrocarbonetos”, explicou Félix Rodrigues, professor de Ciências do Ambiente da Universidade dos Açores, à TVI.

Além das fugas de combustível, a reportagem explica que existem outras fontes de poluição: as forças militares dos Estados Unidos colocaram lamas tóxicas, amianto e outros produtos tóxicos no solo. O professor Norberto Messias, da Escola Superior de Saúde da Universidade dos Açores, iniciou um estudo sobre a saúde dos trabalhadores portugueses e do resto da população daquela zona.

A reportagem da TVI revela que alguns dos locais que têm um risco oncológico elevado estão agora abandonados.