Transporte Ferroviário

Circulação restabelecida na linha do Douro

A circulação de comboios entre Régua-Pinhão já foi restabelecida, mas com um limite de velocidade de 10 km/h na zona da estação do Ferrão, concelho de Sabrosa, onde ocorreu um deslizamento de terras.

PEDRO SARMENTO COSTA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A Infraestruturas de Portugal (IP) informou que foi restabelecida a circulação de comboios entre a Régua-Pinhão, na linha do Douro, com limitação de velocidade a 10 quilómetros hora no local onde ocorreu um deslizamento de pedras.

Na terça-feira, a queda de pedras sobre a via-férrea provocou o descarrilamento parcial de um comboio na zona da estação do Ferrão, concelho de Sabrosa, não se tendo registado feridos entre os cerca de 30 passageiros que seguiam a bordo. A IP procedeu durante esta quarta-feira à consolidação do talude, recorrendo a técnicos especializados em trabalhos em altura.

A empresa informou que, após a conclusão desses trabalhos, foi restabelecida ao início da noite a circulação de comboios entre as estações de Peso da Régua e Pinhão, com a limitação de velocidade a 10 quilómetros hora no local do incidente. Entre terça-feira e este dia foi assegurado o transbordo rodoviário entre as duas estações.

Na origem da ocorrência esteve, segundo a IP, um deslizamento de pedras decorrente das intempéries que se têm feito sentir nas últimas semanas. Durante o dia de terça-feira foram realizados os trabalhos de carrilamento do comboio, com a ajuda de uma composição de emergência enviado para o local. Depois foram removidas as pedras que caíram sobre a linha, algumas das quais de grande dimensão.

A IP disse que “não se registaram danos na infraestrutura ferroviária” e ressalvou que a circulação só seria normalizada depois de “garantidos todos os requisitos de segurança”. Por dia são efetuadas 10 viagens entre as estações de Peso da Régua e Pocinho, cinco em cada sentido.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Austeridade

Os custos das escolhas estão aí /premium

Helena Garrido

Todas as escolhas têm custos. Mesmo que à primeira vista não pareçam. Os custos das escolhas financeiras feitas pelo Governo estão agora visíveis na Saúde e nos Transportes, agravando as desigualdades

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)