Os rebeldes que controlam Duma, em Ghouta oriental, vão libertar 3.500 prisioneiros para permitir a saída da cidade de três mil pessoas, consideradas “casos humanitários”, indicou esta sexta-feira a Central de Informações Militares síria.

Duma é controlada pelo poderoso Exército do Islão, que terá detido centenas de militares e de apoiantes do governo de Bashar al-Assad.

Segundo a Central de Informações Militares, os rebeldes e o governo chegaram a um acordo que permitirá a libertação dos prisioneiros em troca da retirada de milhares de pessoas de Duma.

Numa intensa ofensiva lançada a 18 de fevereiro, as forças pró-Assad já reconquistaram mais de 80% do feudo rebelde de Ghouta oriental nos arredores de Damasco, que estava sitiado desde 2013.

Morreram mais de 1.600 civis e dezenas de milhares tiveram de abandonar as suas casas, segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.