O primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi, disse hoje ordenado aos militares que assumissem o controlo completo das fronteiras do país, num contexto de crescente tensão com a Turquia, que ameaçou o norte do Iraque de incursões.

Num comunicado, Abadi indicou que as tropas impedirão os rebeldes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) de utilizarem o Iraque para ataques fronteiriços contra a Turquia.

O PKK, que combate o Estado turco há mais de 30 anos, tem bases de retaguarda no noroeste do Iraque, bombardeadas regularmente pela aviação de Ancara.

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, disse no domingo que se o PKK não abandonasse as regiões iraquianas de Sinjar e Qandil, seria “inevitável” a sua expulsão por Ancara.

No comunicado, Abadi refere ainda ter reafirmado ao seu homólogo turco, Binali Yildirim, numa conversa telefónica, que rejeita qualquer “violação” contra a Turquia através do território iraquiano.

Adianta que Yildrim assegurou que a Turquia não “lançará operações sem o consentimento do governo iraquiano”.