Saiu da fábrica da Morgan, em Malvern, próximo de Worcestershire, a primeira unidade da série especial Aero GT, de que apenas vão ser produzidas oito unidades. Rumou à Escócia, para deliciar o seu proprietário, sendo que nenhum dos oito exemplares tem como destino o mercado nacional, onde seria proposto por cerca de 140 mil euros.

A britânica Morgan, que se dedica à produção de veículos com três e quatro rodas desde 1910, é muito provavelmente das marcas mais desconhecidas do grande público, apesar de ser conhecida e respeitada junto dos seus potenciais clientes, aqueles que apreciam o seu carácter artesanal e a sua longa história. O Aero GT, baseado no Aero 8, é o modelo mais sofisticado e aerodinâmico da casa, mantendo contudo as linhas que caracterizavam os roadsters de meados do século passado, pois na Morgan a tradição ainda é o que era.

Mas a produção artesanal, dependendo sobretudo de artífices que fabricam automóveis como se tratassem de peças de arte, não impede a Morgan de recorrer a mecânicas actuais e possantes. No caso do GT, é o conhecido motor 4.8 V8 atmosférico da BMW, que fornece 372 cv, potência que lhe permite atingir 170 km/h. Mas mais do que isso, face ao reduzido peso do Morgan, garante emoções a rodos, como se pode antever pela capacidade de aceleração, com o Aero GT a chegar aos 97 km/h em apenas 4,5 segundos.

Curiosamente, esta série especial de oito unidades tem a sua origem no facto de a Morgan ter na sua posse outras tantas unidades do V8 alemão que, tal como está, não cumpre as próximas normas cada vez mais restritivas das emissões poluentes. A própria BMW está a braços com a necessidade de renovar os seus motores a gasolina, visando torná-los compatíveis com a legislação que passará a ser imposta ainda este ano, o que passa pela inclusão de filtros de partículas.

[jwplatform uMuqBbcF]