A apenas cerca de dois meses da prova disputada nas Montanhas Rochosas do Colorado, o Pikes Peak Hill Climb, a Volkswagen retirou rapidamente o I.D. R Pikes Peak da sala onde os convidados, de copo numa mão e acepipe na outra, assistiram à revelação do novo modelo de competição do construtor germânico (e o primeiro eléctrico), e enviou-o para pista, para que os primeiros ensaios confirmem se o carro está à altura das necessidades. Que são muitas.

Ao novo I.D. R Pikes Peak a Volkswagen pede que não só seja o mais rápido entre os eléctricos à partida da edição deste ano, como bata igualmente o recorde para modelos alimentados por bateria. E com este ambicioso caderno de encargos, o melhor é começar quanto antes a trabalhar, pois uma parte considerável dos dois meses que existem para desenvolver o veículo vão ser consumidos na deslocação para o Colorado.

A pista escolhida para os primeiros ensaios foi o traçado do Polo Mecânico de Alès-Cévennes, no sul de França, já com Romain Dumas, que enquanto piloto da Porsche no Campeonato do Mundo de Endurance se sagrou campeão do mundo em 2016 e venceu Le Mans em duas ocasiões. O piloto francês de velocidade tem igualmente um fraquinho por Pikes Peak, rampa que já venceu por três vezes (2014, 2016 e 2017), sempre com motores a gasolina, que desta vez trocou por eléctricos.

As primeiras voltas confirmam o I.D. R Pikes Peak como um carro de competição bem-nascido, ainda que envergue apêndices aerodinâmicos enormes, necessários para a rampa e para o ar rarefeito que lá se faz sentir, sobretudo na zona próxima do final, localizada a 4.300 metros de altitude.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os restantes testes vão decorrer ‘à porta fechada’, tanto mais que tudo indica que a Volkswagen – que percebe muito de competição, ela directamente, mas também as restantes marcas do grupo – está a esconder o jogo, num processo que é habitual nestas andanças.

[jwplatform uWj0tfHD]