“Fiquei surpreendido”. Foi esta a frase com que António Costa reagiu à desfiliação de José Sócrates do PS. As declarações foram feitas no Canadá onde está em visita de Estado. Mas diz “respeitar a decisão pessoal”.

Costa disse contudo que “respeita” a decisão “pessoal” do antigo primeiro-ministro José Sócrates de abandonar o seu partido, adiantando, no entanto, que também ficou “surpreendido” com os motivos invocados.

“É uma decisão pessoal de José Sócrates que tenho obviamente de respeitar”, mas “fico surpreendido, porque não há qualquer tipo de mudança da posição da direção do PS sobre aquilo que escrupulosamente temos dito desde o início: separação entre aquilo que é da justiça e aquilo que é da política”, afirmou.

[Veja como as críticas a Sócrates se intensificaram na quarta-feira, dia 2 de maio]

O primeiro-ministro reiterou que existem “todos os motivos para confiar no nosso sistema de justiça e a dimensão da presunção da inocência tem de ser respeitada”. Questionado sobre se os comentários de vários dirigentes socialistas são já uma condenação a José Sócrates, António Costa aconselhou: “Se todos ouvirem o que foi dito verificarão que não”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Costa disse que “ninguém pode ficar feliz quando qualquer militante deixa as fileiras” do partido, principalmente tratando-se de um ex-secretário-geral, mas tem de “respeitar a decisão pessoal” de Sócrates.