Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Mercedes, como qualquer construtor que se preze, está a apostar em força nos veículos eléctricos alimentados por bateria – e está igualmente a investir em soluções como as fuel cells a hidrogénio –, tendo previsto a introdução no mercado para breve do EQ C, o primeiro modelo da gama EQ, sinónimo para este fabricante de veículo eléctrico.

Até lá, iniciou a preparação dos seus clientes para os automóveis que vêm aí e que, acima de tudo, prometem ser substancialmente menos ruidosos. Daí que tenha produzido um vídeo a brincar com isso mesmo. O melhor é ver o filme, até para ter uma ideia do que pode fazer em relação aos seus amigos com mais queda para imitar ruídos…

À falta do futuro EQ C, surge o Concept EQ, o protótipo apresentado há mais de um ano no Salão de Paris, onde antecipava um formato tipo SUV, similar aos já apresentados Jaguar I-Pace e ao Audi e-tron, uma vez que o Model X da Tesla tem mais uns bons centímetros, sendo quando muito um concorrente do EQ E, se e quando este surgir.

O Concept EQ recorre a dois motores eléctricos (para assegurar as quatro rodas motrizes) com um total de 402 cv e 700 Nm de força, o que lhe permite chegar aos 100 km/h em menos de 5 segundos. Em matéria de autonomia, apesar de possuir uma bateria de 70 kWh, o protótipo prometia 500 km, o que parece muito para a capacidade da bateria. A explicação para tal pode ser encontrada junto da norma NEDC, bastante mais optimista do que a nova WLTP, mas que era a utilizada quando o concept foi revelado.

Se o EQ C vai ser o primeiro eléctrico da Mercedes da nova vaga, está longe de ser o único, com a marca germânica a completar a oferta depois com o EQ A, um pequeno SUV, a que se irão juntar mais tarde os EQ E e EQ S.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR