Rádio Observador

Direitos Humanos

Casa Pia. Estado português condenado a pagar 68 mil euros a Paulo Pedroso

6.839

Estado foi condenado a pagar mais de 68 mil euros a Paulo Pedroso, no processo Casa Pia. Tribunal Europeu considerou que deveriam ter sido tomadas "medidas alternativas" à prisão preventiva.

AFP/Getty Images

O Tribunal Europeu dos Direitos do Homem condenou, esta manhã, o Estado português a pagar 68.555 euros a Paulo Pedroso, após um recurso apresentado pelo socialista relacionado com o processo Casa Pia, escreve a Agência Lusa. De acordo com a sentença do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, o Estado tem três meses para indemnizar o socialista.

Segundo a SIC Notícias, o Tribunal de Estrasburgo considerou que deveriam ter sido tomadas “medidas alternativas” à prisão preventiva de Pedroso. Entendeu também que não existiam provas suficientes de que o antigo ministro tivesse cometido os crimes de abuso sexual de menores, e que este ficou impossibilitado de ter acesso a determinados documentos relacionados com o processo.

Pedroso exigiu ao Estado uma indemnização por ter sido, então, detido preventivamente sem indícios suficientes.

Em 2003, Pedroso foi detido para interrogatório. O ex-ministro socialista ficou em prisão preventiva vários meses e chegou a ser constituído arguido no âmbito do processo de pedofilia na Casa Pia. Paulo Pedroso foi indiciado pela prática de 15 crimes de abuso sexual de crianças.

Acabou por não ir a julgamento e foi libertado por decisão da juíza Ana Teixeira e Silva. Mal saiu do Estabelecimento Prisional de Lisboa, dirigiu-se ao Parlamento, por ter sido ali que fora detido.

Mas o caso mediático tinha começado logo em maio desse ano, tal como o Observador chegou a escrever em 2014, quando o juiz de instrução Rui Teixeira foi pelo próprio pé ao Parlamento pedir o levantamento da imunidade parlamentar de Paulo Pedroso para assim, o então deputado, poder ser detido e posteriormente preso preventivamente.

O caso duraria anos a ficar fechado e mais tarde, Pedroso chegou a ser constituído arguido e acusado, mas acabaria por ser ilibado pela juíza de instrução, Ana Teixeira e Silva, que disse não ter argumentos para levar o governante a julgamento.

Depois de ilibado, Pedroso apresentou queixas contra o Estado por “erros grosseiros” na prisão preventiva. A última decisão do Supremo Tribunal de Justiça, de 2011, absolvia o Estado de pagar uma indemnização ao antigo governante, mas a marca na reputação política ficaria para sempre.

Em 2014, numa entrevista à revista Visão, Pedroso dizia ter fechado a porta à política uma vez que do processo Casa Pia ficou “o prejuízo à reputação”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)