Fenprof

Fenprof desafia professores para concentração em Lisboa durante negociações com Governo

A Fenprof desafiou os docentes a concentrarem-se em frente do Ministério da Educação na quarta-feira, dia de uma nova reunião negocial sobre a contagem do tempo de serviço para a carreira.

RODRIGO ANTUNES/LUSA

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) desafiou esta sexta-feira os docentes a concentrarem-se em frente do Ministério da Educação na quarta-feira, dia de uma nova reunião negocial sobre a contagem do tempo de serviço para a carreira.

O desafio foi lançado pelo secretário-geral, Mário Nogueira, no encerramento do encontro internacional sobre o desgaste dos professores, iniciativa da Fenprof que decorreu em Lisboa.

[FrameNews src=”https://s.frames.news/cards/gastos-com-educacao-1/?locale=pt-PT&static” width=”300px” id=”518″ slug=”gastos-com-educacao-1″ thumbnail-url=”https://s.frames.news/cards/gastos-com-educacao-1/thumbnail?version=1516277144802&locale=pt-PT&publisher=observador.pt” mce-placeholder=”1″]

A Fenprof quer uma negociação, mas avisa que o tempo de contagem de serviço “é inegociável”.

Os sindicatos dos professores reclamam a contagem de todo o tempo de serviço para efeitos de carreira, enquanto o Governo propõe cerca de um terço do tempo.

Exigimos negociar, mas não aceitamos que nos imponham as regras. Este tempo é inegociável, aliás seria ilegal se o negociássemos”, afirmou Mário Nogueira, endereçando depois “o convite” aos professores para se concentrarem na quarta-feira à porta do Ministério da Educação, em Lisboa, enquanto decorre a reunião negocial com os sindicatos.

O Ministério da Educação convocou para quarta-feira os sindicatos dos professores para uma nova reunião negocial sobre o tempo de contagem de serviço para efeitos de carreira.

[FrameNews src=”https://s.frames.news/cards/docentes-em-portugal/?locale=pt-PT&static” width=”300px” id=”511″ slug=”docentes-em-portugal” thumbnail-url=”https://s.frames.news/cards/docentes-em-portugal/thumbnail?version=1512398655907&locale=pt-PT&publisher=observador.pt” mce-placeholder=”1″]

A convocatória surgiu em resposta a uma carta aberta que os sindicatos dirigiram ao ministro Tiago Brandão Rodrigues a manifestarem disponibilidade para retomar as negociações.

Por causa da contagem do tempo de serviço, os professores estão em greve às avaliações desde junho.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Empresas

Gerir sem KPIs

José Miguel Pinto dos Santos

O que faz um grande gestor? Não é, certamente, o controlo dos KPIs. Então qual a essência da boa gestão? Em vez de uma definição, fica aqui um exemplo retirado de numa antiga crónica japonesa.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)