Índia

Índia. Adolescente afirma ter sido vítima de violação repetidamente por professores e colegas durante meses

Uma rapariga indiana de 15 anos afirma que foi vítima de violação repetidamente por colegas e professores ao longo de seis meses. O caso despoletou uma nova onda de protestos.

AFP/Getty Images

Uma rapariga de 15 anos afirma que foi vítima de violação por 19 pessoas – 16 colegas menores e três professores. As agressões terão ocorrido repetidamente ao longo de seis meses numa escola em Ekma, na província de Bihar, na Índia.

A denúncia foi feita na sexta-feira passada. As investigações ainda estão a decorrer, mas a polícia já deteve sete suspeitos, entre os quais o diretor da escola, dois professores e quatro rapazes menores. O polícia garantiu que vão continuar a pedir mandatos ao tribunal e conduzir rusgas para capturar os restantes envolvidos.

Segundo Anuj Kumar, subinspetor do caso, no incidente inicial, a jovem terá sido violada por um grupo de três ou quatro colegas. Posteriormente, terá sido abordada pelos restantes suspeitos que, sabendo do caso, ameaçaram expo-la e também a agrediram sexualmente.

Os suspeitos detidos negam o envolvimento no caso. “Eles dizem que são inocentes e não o fizeram”, relatou o agente da polícia à CNN.

Este caso está a gerar uma nova onda de consternação na sociedade indiana, que desde 2012 tem assistidos a vários casos semelhantes. Em abril, protestos em larga escala irromperam no país depois de ser divulgado o caso de uma menina de oito anos que foi violada e assassinada. O Governo aprovou uma lei temporária que permite a aplicação da pena de morte nos casos com vítimas menores.

De acordo com o National Crime Records Bureau, cerca de cem casos de violação são reportados às autoridades diariamente. Em 2016, o país totalizou mais de 55 mil mulheres, incluindo menores, vítimas de violação.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)