Rádio Observador

Rui Rio

Rui Rio assume que o PSD tem condições e ambição para ganhar todas as eleições

112

O presidente do PSD, Rui Rio, considerou que o partido "tem condições" para ir para as eleições europeias, legislativas e autárquicas com a "ambição de ganhar".

JOSÉ COELHO/LUSA

O presidente do PSD, Rui Rio, considerou esta segunda-feira que o partido “tem condições” para ir para as eleições europeias, legislativas e autárquicas com a “ambição de ganhar”, tendo para isso de ter a “noção exata da gestão do tempo”.

“Acho que nós temos condições para irmos para as eleições europeias com a ambição de ganhar, para irmos para as eleições legislativas de 2019 com a ambição de ganhar e para irmos para as eleições autárquicas de 2021 com a ambição de ganhar em muitos concelhos que, entretanto, perdemos”, disse o líder social-democrata durante o discurso de tomada de posse dos órgãos distritais do PSD/Porto.

Mas, para isso acontecer, Rui Rio afirmou que o partido e os militantes têm de ter a “noção exata” daquilo que é a gestão do tempo porque “tudo tem um tempo certo”, não podendo o PSD exigir aos outros que entendam o que está a pensar quando ainda não é o momento. “Aquilo que hoje a população portuguesa está capaz de entender é diferente daquilo que estava capaz de entender há um ano”, entendeu. Para o presidente do partido, a gestão do tempo em política é “vital”, tendo de ter em cada momento consciência daquilo que é possível a população entender.

Para ganhar as eleições só é preciso ter credibilidade, não é preciso ter mais nada, observou, acrescentando que a credibilidade é o somatório da seriedade, coragem e competência. É a credibilidade que vai permitir ao PSD aspirar a ganhar as eleições, salientou Rui Rio.

As eleições europeias, que acontecem em maio de 2019, são a primeira prova que o PSD vai ter, observou o social-democrata, convencido de que os portugueses vão chegar a essa altura com as ideias muito claras daquilo que o partido defende para a política europeia, mas também sobre aquilo que é a “fragilidade” da atual solução governativa que muitos já veem.

Frisando que, desde já, o PSD tem de se preocupar com as eleições europeias e legislativas, Rui Rio vincou que também tem de se preocupar com as autárquicas e começar a trabalhar já para elas, porque senão não vai ter hipótese de ter um “resultado condigno”.

A implementação autárquica nas câmaras e juntas de freguesias é “mais relevante” do que o número de deputados que o PSD possa vir a ter na Assembleia da República, atestou, recordando que a comissão política nacional criou uma equipa de trabalho para que, em articulação com as distritais, haja a monitorização de concelho a concelho ouvindo pessoas, visitando instituições e percebendo o que está mal.

“Se nós fizermos isso, chegamos em condições de ganhar as eleições concelho a concelho nas próximas autárquicas de 2021, mas se não fizermos só um milagre é que nos pode dar oportunidade de recuperar muitas das câmaras que, atualmente, estão ao nosso alcance”, afiançou.

A título de exemplo, Rui Rio afirmou que a Câmara Municipal do Porto, liderada pelo independente Rui Moreira, está ao alcance do PSD. “Acreditem que ao fim de 12 anos de autarca tenho a noção exata das coisas, particularmente onde fui autarca. Há condições para ganhar aqui, mas é preciso trabalhar”, asseverou.

No final do seu discurso, que demorou cerca de 20 minutos, o presidente do PSD revelou que o grupo parlamentar faz o seu jantar de final da sessão legislativa na terça-feira, onde irá aproveitar para falar de saúde. A área da saúde é a “maior fragilidade” do Governo de António Costa para “mal dos portugueses”, observou, adiantando que vai aproveitar o momento para falar do que é o pensamento do PSD para a saúde em Portugal.

Oiça as melhores histórias destas eleições europeias no podcast do Observador Eurovisões, publicado de segunda a sexta-feira até ao dia do voto.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Rui Rio

Portugal continua a não ser a Grécia /premium

Rui Ramos
396

Quando a Grécia se afundava em resgates, Passos impediu que Portugal fosse a Grécia. Agora, quando a Grécia se liberta da demagogia, é Rui Rio quem impede que Portugal seja a Grécia. 

PSD

A credibilidade do choque fiscal de Rui Rio /premium

Luís Rosa
122

É difícil acreditar num corte fiscal generoso no IRS, IRC, IVA e IMI em vésperas de eleições e com projeções que indicam o arrefecimento da economia. Soa a desespero de um líder em apuros.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)