Donald Trump

Trump diz que “muitas coisas positivas” resultarão da cimeira com Putin

"Putin e eu discutimos muitos temas importantes na nossa reunião. Demo-nos bem, o que realmente incomodou muitos inimigos que queriam ver um combate de boxe. Grandes resultados virão", disse Trump.

IAN LANGSDON/POOL/EPA

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse esta quarta-feira que “muitas coisas positivas sairão” da cimeira que teve na segunda-feira com o seu homólogo russo, Vladimir Putin, em Helsínquia.

“Putin e eu discutimos muitos temas importantes na nossa reunião. Demo-nos bem, o que realmente incomodou muitos inimigos que queriam ver um combate de boxe. Grandes resultados virão”, escreveu Trump no Twitter.

Após numerosas críticas por desautorizar as agências secretas dos Estados Unidos perante Putin na conferência de imprensa conjunta após a cimeira de Helsínquia, Trump afirmou na terça-feira que foi mal interpretado quando referiu que não entendia por que a Rússia teria interferido nas eleições de 2016 nos EUA. De regresso à Casa Branca, o Presidente norte-americano afirmou que a sua intenção era afirmar que não via os motivos porque a Rússia “não será” responsável.

Mas esta quarta-feira disse: “muitas pessoas ao mais alto nível dos serviços de informações gostaram da minha apresentação na conferência de imprensa em Helsínquia”. “A reunião com a Rússia poderá ser, a longo prazo, um sucesso ainda maior” que a cimeira da NATO, disse ainda, numa referência ao encontro da Aliança Atlântica no qual participou uns dias antes em Bruxelas.

“Embora a reunião da NATO tenha sido um triunfo reconhecido, com milhares de milhões de dólares a mais a cargo dos países membros a um ritmo mais acelerado, a reunião com a Rússia poderá ser, a longo prazo, um sucesso ainda maior. Muitas coisas positivas sairão dessa reunião”, adiantou Trump.

A cimeira de Helsínquia foi a primeira entre os atuais presidentes russo e norte-americano.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Não há eleições europeias /premium

João Marques de Almeida

O parlamento europeu serve sobretudo para reforçar o poder dos grandes países, cujos partidos dominam os grupos políticos e, principalmente, as comissões parlamentares se fazem as emendas legislativas

Política

O caso Berardo e o regresso a Auschwitz

Luís Filipe Torgal

A psicologia de massas, manipulada pelos novos cénicos «chefes providenciais», vai transfigurando a história em mito, crendo num «admirável mundo novo», depreciando a democracia, diabolizando a Europa

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)