Mais de 460 imigrantes considerados ilegais que haviam sido detidos pelas autoridades norte-americanas e separados dos filhos menores que os acompanhavam foram deportados entre os meses de maio e junho, sem os seus filhos, que continuaram retidos em território norte-americano.

Os dados, avançados pelas autoridades norte-americanas esta segunda-feira, são preliminares e podem ainda ser mais elevados, admitem as próprias autoridades.

Os pais, na maior parte oriundos de países da América Central, foram deportados por ordem da justiça norte-americana. No entanto, os seus filhos, crianças entre os cinco e os 17 anos, permaneceram em território norte-americano, sob custódia federal.

A administração norte-americana estabeleceu como meta reunificar as famílias separadas quando estes imigrantes foram detidos até quinta-feira. Em causa estão crianças 2.551 menores com idades entre os cinco e os 17 anos.

Até ao momento, o governo norte-americano diz que já reunificou 879 pais com os seus filhos e que outros 538 casos já terão autorização para que as famílias deixem de estar separadas.