Um adolescente palestiniano morreu este sábado devido a ferimentos sofridos por tiros de soldados israelitas, durante uma manifestação perto da barreira que separa Israel da Faixa de Gaza, informou o Ministério da Saúde palestiniano.

O jovem, de 17 anos, foi baleado no peito na sexta-feira, durante os protestos perto da cidade de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, controlada pelo movimento islâmico Hamas.

Eleva-se assim para três o número de palestinianos mortos nestes protestos, após a morte de uma criança de 12 anos e um homem de 43 anos com uma bala na cabeça disparada pelo exército israelita, segundo o Ministério.

O exército israelita não comentou as mortes, mas indicou que 7000 “manifestantes” palestinianos atiraram pedras e pneus queimados contra soldados israelitas na barreira.

As tropas responderam “com meios antimotim e dispararam de acordo com as regras”, referiu o exército israelita.

Pelo menos 157 palestinianos foram mortos na Faixa de Gaza desde o início dos protestos, a 30 de março, contra o bloqueio israelita que dura há mais de 10 anos e exigem o direito de retorno dos palestinianos que fugiram ou foram expulsos de suas casas e terras durante a criação de Israel em 1948.

Um soldado israelita foi morto a 20 de julho por um palestiniano durante uma operação do exército perto da barreira, o primeiro nesta área de guerra entre o Hamas e Israel em 2014.

Três guerras opuseram estes dois protagonistas desde 2008.