O Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) garantiu esta segunda-feira estar “de boa fé” nas negociações com o Governo sobre o Orçamento do Estado de 2019, mas avisou que “não há orçamentos no papo” nem “aprovados à partida”.

“Não há orçamentos no papo, não há orçamentos aprovados à partida”, afirmou Heloísa Apolónia, deputada do PEV, no final de uma audiência no Palácio de Belém, em Lisboa, com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, sobre o próximo ano político até às eleições, incluindo o Orçamento do Estado de 2019.

Ainda sem conhecer o orçamento do Governo minoritário do PS, com quem o PEV assinou uma “posição conjunta” para viabilizar o executivo com o BE e o PCP, Heloísa Apolónia afirmou que os Verdes, “sendo sérios, não podem dizer se votam a favor ou contra”.

Independentemente de algumas propostas do partido virem a ser acolhidas pelo executivo, o PEV fará as suas propostas no debate na especialidade, no parlamento.

E apresentou algumas propostas, mais ou menos genéricas, como o investimento publico nos transportes e na ferrovia, a aposta na educação e na cultura, “parente pobre das últimas governações”.