Uma condutora no Iowa deve ter decidido testar a máxima popular utilizada para os relâmpagos e respectivos raios, que afirma que nunca um mesmo local é fulminado duas vezes por um raio. Vai daí, aplicou este princípio à condução do seu Ford Mustang: depois de ter sido multada, a condutora entendeu que jamais seria de novo apanhada em transgressão no mesmo dia. Mas a coisa não correu tão bem quanto Chauntl Wilson gostaria, ou antecipou.

Wilson conduzia o seu Ford Mustang de 2018 através da auto-estrada I-8 nos arredores de Lincon, no Nebraska, quando o xerife local a mandou parar e a autuou, por circular a 128 km/h numa zona em que apenas se podia rodar a 120 km/h. Porque o excesso de velocidade era diminuto, a condutora foi multada, mas apenas isso, seguindo viagem.

E seguiu viagem de forma bastante animada, pois passados poucos quilómetros foi de novo mandada parar. Pelo mesmo polícia, mas desta vez por circular a 228 km/h. E menos mal que era um Mustang 2.2 Ecoboost de 314 cv, pois caso fosse a versão equipada com o 5.0 V8 de 466 cv a multa seria provavelmente superior.

Porque um azar nunca vem só, à segunda vez que apanhou a condutora a infringir a lei, o agente foi obrigado a autuá-la e a prendê-la, o que lhe permitiu analisar o que Wilson possuía no interior do veículo. Lá dentro, descobriu um (excelente) motivo para um comportamento tão desafiante, uma vez que a condutora se fazia acompanhar de um saquinho de haxixe, que não fará maravilhas ao tempo de prisão que Chauntl Wilson vai ter de enfrentar.