Um incêndio de grandes proporções queimou uma extensão de floresta da Reserva Especial de Maputo (REM), mas não há registo de animais mortos pelas chamas, disse esta terça-feira o chefe do Departamento de Fiscalização do local, Natércio Ngovene.

O responsável disse à emissora pública Rádio Moçambique que o incêndio começou na noite de segunda-feira e só foi extinto na manhã desta terça-feira ao anoitecer.

“Ainda não vimos nenhum animal morto, porque quando há uma queimada, os animais fogem para lugar seguro”, declarou o chefe do Departamento da REM.

Natércio Ngovene apontou a ação dos caçadores furtivos e da vaga de calor que afetou a província de Maputo na segunda-feira como as prováveis causas do incêndio.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Depois de um período de marasmo, devido à guerra civil que terminou em 1992, a REM tem conhecido alguma vitalidade nos últimos anos, tendo sido introduzidos quatro mil animais entre 2010 e 2017, no âmbito de um plano de repovoamento.

Este ano, já foram introduzidas 50 inhalas (espécie de antípole) e durante este mês prevê-se a transferência para a REM de 40 búfalos, 100 zebras e 20 impalas.