O Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Faro está a investigar os incidentes que aconteceram durante uma tourada em Albufeira, na passada quinta-feira, avançou esta sexta-feira o Diário de Notícias. Além disso, salienta o jornal, a GNR abriu ainda “um processo de averiguações” interno à atuação dos seus militares que estiveram no local.

Tudo começou depois de três ativistas antitouradas terem invadido a arena, tendo sido retirados pela GNR. Os ativistas foram ainda agredidos por outras pessoas no momento em que estavam a ser retirados do recinto, sob escolta da Guarda. O vídeo do momento foi partilhado no Facebook por Peter Janssen, activista do Vegan Strike Group.

De acordo com o Diário de Notícias, as agressões continuaram no exterior da arena, tendo-se estendido até a pessoas que não tinham participado na invasão. Uma mulher afirmou mesmo ter sido alvo de agressões por parte da GNR: “Um deles em vez de me perguntar alguma coisa fez-me logo uma chave ao pescoço. Veio outro que me dobrou, pôs-me a cabeça nos joelhos”, recordou em declarações ao DN. A mesma testemunha relatou que os militares da GNR lhe tiraram o telefone para apagar as imagens que tinha captado.

A Guarda Nacional Republicana diz que esta ocorrência vai ser investigada e já procedeu à “abertura de um processo de averiguações” interno. Para esta sexta-feira está previsto novo protesto antitouradas em Albufeira, por ocasião da corrida da RTP.